AO VIVO
Menu
Busca terça, 22 de junho de 2021
Busca
Maceió
28ºmax
21ºmin
Correio
Correios Celular - Mobile
Saúde

Paraná vai destinar primeiro lote da Janssen para vacinar trabalhadores do transporte

Com essa medida, o estado avança na imunização contra a Covid-19 para os trabalhadores do quadro prioritário

10 junho 2021 - 15h01Por Elisângela Silva Bispo Lima

O Paraná vai usar as vacinas da Janssen (braço farmacêutico da Johnson & Johnson), para imunizar os trabalhadores dos transportes: coletivos rodoviários de passageiros; do transporte ferroviário; do transporte aquaviário; e caminhoneiros.

De acordo com o Plano Estadual de Vacinação, esse grupo é formado por 178.639 pessoas. A estimativa do Ministério da Saúde é que as doses cheguem ao Estado até esta sexta-feira (11). A Secretaria de Saúde do estado do Paraná (Sesa) trabalha com a perspectiva de 150 mil doses, seguindo o cronograma estabelecido pelo governo federal ao longo do ano. 

As vacinas fazem parte do primeiro lote com 3 milhões de doses disponibilizado ao País pela farmacêutica norte-americana e têm prazo de validade até 27 de junho, por isso a necessidade de distribuição e aplicação rápidas.

“Será uma nova alternativa para a população paranaense, um quarto imunizante disponibilizado ao País. As vacinas da Janssen devem chegar essa semana e como temos o dia 27 de junho como última data para utilização, vamos fazer um grande esforço para aplicar naqueles profissionais da carga pesada, como os caminhoneiros, por exemplo”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A entrega da remessa Jansen foi antecipada pelo fabricante, atendendo a um pedido emergencial do Ministério da Saúde. No total, o Brasil vai receber cerca de 38 milhões de doses da Jansen até o 4º trimestre/2021.

Vantagens

A principal vantagem do imunizante da Jansen, talvez, seja demanda apenas uma dose para a completa imunização. Os outros três imunizantes contra o coronavírus, aplicados atualmente no País (Pfizer, AstraZeneca e CoronaVac) requerem duas doses.

Uma única dose resolve o problema de muitos grupos prioritários, que precisam estar assegurados completamente. Uma única dose, também ajuda a aliviar a pressão sobre os governos, de maneira geral, pois não se corre o risco de desabastecimento e atrasos na aplicação da segunda dose. Quanto ao imunizado, sem necessidade de complemento do imunizante, ele não corre o risco de esquecimento.

Outra vantagem muito importante, para o Brasil, é a temperatura de armazenamento e o transporte desse imunizante Jansen, que deve ser entre 2ºC e 8ºC, por até três meses. Bem diferente da Pfizer, por exemplo, que requer temperatura abaixo dos 70º graus negativos para estocagem e armazenamento, garantindo seu período de validade completo. Abaixo disso a validade cai para 31 dias, no máximo.  

Vacinômetro

Segundo o Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), vinculado ao Ministério da Saúde, o Paraná aplicou até a manhã desta quarta-feira (09) 4.107.914 vacinas contra a Covid-19. Foram 2.867.883 primeiras doses e 1.240.031 segundas doses. Em relação ao público-alvo, o Estado alcançou 61% com a primeira dose e 26,4% com a segunda. 

Até o momento o governo federal encaminhou 5.837.960 doses ao Paraná. “É uma guerra. Precisamos de todos e da conscientização coletiva para combater esse vírus, cada vez mais contagioso e letal. O remédio é a vacina”, destacou Beto Preto.

A vacina da Johnson & Johnson tem eficácia de 85% na prevenção de casos graves e oferece proteção completa contra hospitalização e morte por Covid-19, segundo estudo divulgado em janeiro